Histórico: Plenária de Terapia Celular marca união entre SBTMO e ABHH

Histórico: Plenária de Terapia Celular marca união entre SBTMO e ABHH

No dia 26 de agosto foi realizada a plenária “CAR-T cell: utopia ou realidade. Esta sessão teve o propósito de discutir as etapas e os desafios para concretizar a implantação do CAR-T Cell no Brasil. Foi uma reunião histórica, fruto da união de esforços da Sociedade Brasileira de Terapia Celular e Transplante de Medula Óssea (SBTMO) e da Associação Brasileira de Hematologia e Terapia Celular (ABHH) e tratou da aplicabilidade e acesso além do âmbito das pesquisas relacionadas à essa terapia,

A sessão contou com a moderação de Marco Antonio Salvino e Andreza Feitosa Ribeiro, coordenadores do grupo de terapia celular da SBTMO; do professor Ricardo Pasquini (CHC-UFPR/Ebserh; HNSG) e primeiro presidente da SBTMO, Afonso Celso Vigorito (presidente do congresso SBTMO), e de Cármino Antonio de Souza, secretário da Secretaria Extraordinária de Ciência, Pesquisa e Desenvolvimento em Saúde do Governo do Estado de São Paulo.(se você colocar Dr para o Dr Pasquini precisa colocar para todos os outros)  

Como palestrantes, tivemos a presença de Álvaro Urbano Ispizua, Hospital Clínic de Barcelona, que compartilhou a “Experiência Espanhola: tornando o CAR-T realidade” e de Dimas Tadeu Covas, do Hemocentro RP; CTC-CEPID-FAPESP; INCTC, Instituto Butantã, que apresentou pontos sobre “Como tornar realidade o CAR-T no Brasil”.

O presidente da SBTMO, Fernando Barroso Duarte, definiu o momento como um marco, pois possibilitou que as duas sociedades debatessem, juntas, em prol de um propósito em comum: tornar a terapia celular uma realidade, e não, uma utopia, digna e acessível a todos. “O Brasil é um país de limites continentais, diante disso, precisamos de equidade”, referiu Duarte. É  um momento em que, juntos, desenvolveremos uma terapia celular digna, acessível para todos.

Consonante à Duarte, José Francisco Comenalli Marques JR., presidente da ABHH, elencou os aspectos que precisavam ainda ser superados para alcançar equidade, tais como o acesso a insumos básicos no âmbito da hematologia, hemoterapia, terapia celular e TMO. Vencemos muitos desafios e, mais uma vez, estamos na vanguarda da ciência, expandindo horizontes”, definiu Marques Jr..

Debatedor convidado, Carmino Antonio de Souza, endossou este cenário de desequilíbrio, e pontuou a falta de medicamentos básicos como alquilantes e anti-metabólicos.

Tanto as palestras como toda a plenária serão publicadas em breve no youtube da SBTMO, com acesso aberto a todos!

Crédito das Fotos: SBTMO/Adriano Vaz @adrianovazzz